segunda-feira, 31 de outubro de 2011

PELA REDUÇÃO DA JORNADA DE TRABALHO

Na medida em que a burguesia cresce, isto é, o capital,  também se desenvolve  o proletariado, a classe dos operários modernos, os quais só vivem enquanto encontra trabalho e só  encontra trabalho enquanto seu trabalho aumenta o capital. esses operários, obrigados a se vender dia a dia , são  uma mercadoria,  um artigo de comercio como qualquer outro;  e, por conseguinte, estão expostos a todas as vicissitudes  e concorrência, a todas as flutuações  do mercado.
Estamos vivendo um momento histórico em que todos os trabalhadores anseiam por  abertura de novos postos de trabalho, esse também é  o desejo da classe dominante  que vê nisso mais espaço  para  exploração dos trabalhadores.  É de suma importância que  seja iniciada uma luta pela redução da jornada de trabalho  na expectativa da  diminuição  da exploração   da nossa  força de trabalho. Uma sociedade mais justa e fraterna  se faz com  trabalhadores que  dispõem de mais tempo  para estudar  e  ter lazer  com sua família. 
A LUTA PELA REDUÇÃO DA JORNADA DE TRABALHO  TEM QUE SER TRAVADA IMEDIATAMENTE

domingo, 30 de outubro de 2011

EM TEUS OLHOS FLORESTAS


Em teus olhos florestas
acendem palavras
demarcadas pelo espanto do invasor

O riso é flor em marcha
d’alma envolvida em dor

Em tua boca o território
se recolhe à taba
e escondes tua nudez
como fosse praga

A cicatriz já foi posta
em tua alma mata
e tua garganta vomita canções
de saudades vindas
e um passado que não deságua

Vontade de ser mãe
terra saudade da ausência
de quem ficou
nos limites extremos
entre a civilização e a farsa
e a falta de pudor
do explorador

A tua tribo se levanta
e o arco alcança
a flecha que não foi
arremessada atinge
o sangue do arremessador
-a submissão do braço
não confessa a fervura
da idéia

E teu canto graúna
assume a bravura
de uma graça que não era
para a guerra


Hideraldo Montenegro

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Crise do capitalismo leva trabalhadores gregos a paralisar o país

As crises comerciais  que, por sua periodicidade, ameaçam  cada vez mais a existência de toda sociedade , destroi regularmente  não somente  uma grande parte dos produtos fabricados, mas também uma grande parte  das forças produtivas já existentes. Nessas crises explode sempre  uma epidemia social que , em qualquer época , teria parecido absurda:
a epidemia da superprodução. A sociedade se vê subitamente reconduzida  a um estado  de barbárie momentânea; parece que  uma carestia,  uma guerra  de extermínio lhe tivessem cortado os meios de subsistência; a indústria e o comercio parecem aniquilados.
E por quê? 
 Porque a sociedade possui demasiada civilização, demasiados meios de subsistência, demasiada indústria, demasiado comercio. As forças produtivas de que dispõe não favorecem mais  a civilização burguesa e o regime da propriedade burguesa; pelo contrário, tornaram-se  poderosas demais para esse regime que então passa  a ser  por elas tolhido; e sempre  que as forças produtivas sociais vecem esse obstáculo, lançam na desordem toda a sociedade burguesa e ameaçam  a existência da  propriedade burguesa. As relações  burguesas se tornaram demasiado estreitas para conter a riqueza por elas gerada.
E  de que modo a burguesia poderá suplantar estas crises?
De um lado , destruindo pela violência  uma massa de forças produtivas; de outro, conquistando novos mercados e  explorando mais intensamente os antigos.
Quais são  os efeitos disso?
A preparação de crises  mais gerais e mais poderosas e a diminuição  dos meios de previni-las.

AS ARMAS DE QUE SE SERVIU A BURGUESIA PARA ABATER O FEUDALISMO AGORA SE VOLTAM  CONTRA A  PRÓPRIA BURGUESIA.

MAS A BURGUESIA NÃO FORJOU SOMENTE AS ARMAS QUE LEVARÃO À MORTE ; PRODUZIU TAMBÉM OS HOMENS QUE VÃO EMPUNHAR ESSAS ARMAS : OS TRABALHADORES MODERNOS.

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

O TER E O SER

O consumo é uma atividade natural utilizada para satisfazer  as necessidades. Consome-se, então, desde os primórdios da humanidade. Por exemplo, nas sociedades caçadoras e extrativistas (geralmente nômades), não há quase acumulação de propriedade privada.
Aliás, a propriedade privada atrapalha a atividade de deslocamento dos nômades em busca de alimentos e animais para a caça. Não que não exista a propriedade privada, porém, se restringe basicamente as armas e instrumentos pessoais. A acumulação de muitos bens é tida como sinal de mesquinharia, visto como algo negativo pela coletividade. Estranho, não?
Com a sofisticação da agricultura, algumas sociedades deixam de ser nômades e se fixam a um território. As cidades surgem como locais de armazenagem do excedente da produção agrícola. O excedente da produção concentrado nas mãos de poucos proprietários dá origem à desigualdade social e econômica.
Esse fenômeno, com a revolução industrial e hoje com as revoluções das tecnologias de comunicação, acentuou a desigualdade social e a acumulação da propriedade privada, seja pelo capital ou pelo acesso e agilidade no processamento das informações.
A maior parte da humanidade, que já não era proprietária dos meios de produção, parece perder parte de si durante a jornada laboral. Dessa forma, parece surgir um vazio, um vácuo, uma sensação de insatisfação constante, que parece jamais ser suprida.
As pessoas se esquecem de construir o seu “ser” e, para suprir esse vazio, consomem mercadorias que muitas vezes não necessitam. O “ter” passa a ter primazia. Avalia-se os outros pelas suas propriedades e não pelo seu caráter ou sua história de vida,  o que acaba por reduzir pessoas a produtos descartáveis.
O que é ser feliz? Na sociedade contemporânea, muitas vezes, é poder de consumo, de ter, de comprar e depois descartar coisas, numa velocidade cada vez maior. Comprar coisas que nem sempre se necessita sob estímulo dos meios de comunicação ou da inveja (provocada em si mesmo ou a provocar nos outros), para esbanjar ostentação e aparência.
Para continuar a consumir, entra-se num ciclo vicioso de endividar-se (crédito) para pagar o que, em sã prudência, não se ousaria comprar. Ou seja, consome-se (produto bancário – empréstimo) para pagar o consumo.
E quando se tira essas coisas da pessoa que se preocupou mais com o “ter”? Algumas se perdem totalmente, suicidando-se, inclusive, pois não encontram mais sentido para suas vidas. No entanto, as que se preocuparam em ser alguém, construir-se em virtudes, abalam-se momentaneamente, porém, em vez de ver tudo perdido, erguem-se das cinzas. E começam tudo de novo.
Mas hoje quem se preocupa em se construir enquanto “ser” pode ser o primeiro eliminado do Big Brother da vida, sendo taxado de marginal, estranho, bobão, certinho, ingênuo, babaca, com toda sociedade se deliciando numa prática de bullying que beira o sadismo. O que fazer nessas situações? Não seria o caso de ter dó dessas pessoas, pois não precisamos ser desse jeito?


 Roger Moko Yabiku, advogado - jornalista 

domingo, 23 de outubro de 2011

MORENO/PE - EDITORIAL DO TABLOIDE ACENTELHA


São cada vez mais surpreendentes os fatos que vêm ocorrendo em nosso município. A cada dia um novo acontecimento deixa a população estarrecida, perplexa. E o pior é que os responsáveis por tudo que ocorre continua rindo da cara da população, com o maior cinismo do mundo.
    Além do caos da saúde pública, da educação, do abastecimento d'água, da segurança, do transporte público, do trânsito, dos buracos que se espalham por todas as ruas e avenidas de nossa cidade, sem que os poderes públicos nada façam, nada digam, nada expliquem, vem agora esse escandaloso fato ocorrido em nossa Câmara de Vereadores. Como é que pode um grupo de vereadores que se dizem representantes do povo assumir uma atitude tão vergonhosa perante a população? Votar contra uma recomendação do Tribunal de Contas do Estado, formado por pessoas independentes politicamente de tudo que acontece em nosso município? Será que esses cinco vereadores que contrariaram a vontade da população terão coragem de colocar suas caras na rua sem um mínimo de ressentimento ou vergonha? Será que eles terão a coragem de voltar às ruas para pedir votos a essa população?
    É, meus amigos, como é que podemos falar em dignidade e cobrar de nossas crianças, jovens e da população em geral um comportamento decente, honrado, se nossos governantes e representantes legislativos comportam-se dessa maneira? Será que nós morenenses chegamos ao fundo do poço ou à beira do abismo? Haverá ainda jeito para nossa cidade? Preferimos ainda não perder a esperança.
                                                                                                                         Profº João Pereira

sábado, 22 de outubro de 2011

MORENO-PE

O PROBLEMA NÃO É  APENAS  O LIXO,  OBSERVEM O ESGOTO CORRENDO  A CÉU ABERTO
FALTA  DE SANEAMENTO BÁSICO 

DA ALIENAÇÃO À DEPRESSÃO

A burguesia não pode existir sem revolucionar continuamente os instrumentos de produção, por conseguinte, as relações de produção,  isto é, o conjunto das relações sociais. A conservação inalterada do antigo modo de produção era, pelo contrário, para todas as classes induatriais anteriores, a condição primeira de sua existência. essa revolução contínua da produção, esse constante abalo de todo o sistema social, essa agitação e essa insegurança perpétuas distinguem a época burguesa de todas  as precedentes. todas as relações sociais fixas e enferrujadas,  com seu cortejo de noções e ideais antigas e veneráveis , se dissolvem; aquelas que as substituem envelhecem antes mesmo de se consolidarem. Tudo o que possui solidez e estabilidade  se volatiza, tudo o que é sagrado logo se profana, e os homens  são finalmente obrigados a encarar com olhar mais lúcido suas condições de existência e suas relações recíprocas.

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

GOVERNADOR EDUARDO CAMPOS RECEBE DURAS CRITICAS DO APRESENTADOR RATINHO DO SBT

Quem assistiu o programa do Ratinho  (27/09/2011) viu o apresentador, Carlos Massa indignado com Eduardo Campos.
 Segundo Ratinho, "Eduardo Campos é muito preocupado com a falta de empregos, até por que o Eduardo empregou dois tios na HEMOBRÁS  e foi o grande articulador que culminou com a vitória da mãe dele, a deputada Ana Arraes, na eleição para o TCU - TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO.
Traduzindo: A mãe fiscaliza o filho"
O programa lembrou ainda do aluguel de carros feito pelo governador de Pernambuco por R$ 300.000,00.
A locadora fica em uma sala imunda na periferia de Brasilia.
Ao finalizar seu comentário Ratinho manda um recado pra Eduardo Campos...

Eu acreditei em você Eduardo...

Faz isso comigo não!!!

Não precisa disso não!!!

Fonte:  Programa do Ratinho ( sbt )  de 27/09/2011 SBT

quinta-feira, 20 de outubro de 2011



A  PRAÇA DA IMACULADA CONCEIÇÃO FOI INAUGURA EM  09 DE JULHO DE 1955

TRABALHADORES REALIZANDO  A LIMPEZA  DO JACARÉ

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

ASSOCIAÇÃO MATOS DE JUDÔ - MORENO/PE

FORMANDO TALENTOS  E CIDADÃOS  O PROFESSOR FERNANDO MATOS   AO LONGO DOS ANOS  EXECUTA UMA  MISSÃO QUE  DEVERIA SER DO PODER PÚBLICO, OU SEJA,  DESENVOLVER  E INCENTIVAR A PRÁTICA  DESPORTIVA .

domingo, 16 de outubro de 2011

TABLOIDE A-CENTELHA

Mande um e-mail  para 
  a-centelha@hotmail.com  
solicitando a edição de Outubro  do  
tabloide A-Centelha  em PDF

O que torna os peixes felizes?'

"Chuang-Tzu e Hui-Tzu
Atravessavam o rio Hão
Pelo açude.
Disse Chuang:
'Veja como os peixes
Pulam e correm tão livremente:
isto é a sua felicidade'.
Respondeu Hui:
'Desde que você não é um peixe,
Como sabe
O que torna os peixes felizes?'
Chuang respondeu:
'Desde que você não é eu,
Como é possível que saiba
Que eu não sei
O que torna os peixes felizes?' .",
Hui argumentou:
'Se eu, não sendo você,
Não posso saber O que você sabe,
Daí se conclui que você,
Não sendo peixe,
Não pode saber o que eles sabem'.
Disse Chuang:
'Um momento:
Vamos retornar
à pergunta primitiva,
O que você me perguntou foi
'Como você sabe
O que torna os peixes felizes?'
Dos termos da pergunta
Você sabe evidentemente que eu sei
O que torna os peixes felizes.
*' Conheço as alegrias dos peixes
No rio,
Através da minha própria alegria, à medida Que
vou caminhando à beira do mesmo rio'".
(A Via de Chuang-Tzu. Petrópolis 1969, p. 126-127).

Engenho Moreno- MorenoPE

foto: Jailton Lauriano

sábado, 15 de outubro de 2011

AVISO PRÉVIO

 Advogado  Ari Campos

O AVISO PRÉVIO previsto na CLT poderá ser de até 90 dias. Quem trabalhar até um ano, o aviso será de 30 (trinta) dias, se o empregado for demitido E por cada ano a mais de serviços prestados na mesma empresa, o empregado terá direito a mais 3 (três) dias de AVISO PRÉVIO, até o total de 90 dias."

MORENO-PE - PRAÇA DE AUTOMÓVEIS

                                                                                                          Fotos: Jailton Luariano

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

ASSEMBLEIA DE DEUS

                                                                                             Foto: Jailton  Lauriano

ONDE ANTES ERA O BANCO  DO BRASIL  SERÁ INSTALADO  MAIS UM TEMPLO DA  ASSEMBLEIA DE DEUS.  DEMONSTRANDO  SUA FORTE EXPANSÃO  EM MORENO/PE   FATO QUE VEM ACONTECENDO  NÃO  SÓ COM A  ASSEMBLEIA DE DEUS  MAS COM TODAS AS OUTRAS DENOMINAÇÕES  QUE   CONTINUAM A CADA  MOMENTO INSTALANDO PEQUENOS TEMPLOS  NOS ARREDORES DA CIDADE .


quarta-feira, 12 de outubro de 2011

DINHEIRO PÚBLICO -MORENO/PE

                                                        Foto : Jailton Lauriano

A ponte  que fica  próxima ao  Palmeiras Esporte Clube e liga  a Avenida  Dr  Sofrônio Portela  ao  Bairro do ABC   é  um caminho prático e curto para todos os moradores daquela localidade. É importante informar que  as despesas com a construção e manutenção daquela ponte  vem  do dinheiro  público ( pagamento de impostos , quando vc compra um pãozinho por exemplo)  Infelizmente algumas pessoas  parece  desconhecer  esse processo e quebram e  danificam  um bem público, no caso da ponte fina  quebraram  as Lâmpadas dos postes que  servem  a própria população. Não adianta ficarmos  atribuindo esses atos a bandidos e malfeitores  temos que fazer uma análise mas profunda e observarmos que  todo ser humano é  fruto da sociedade em que vive.  Se existe pessoas  que agem dessa forma  alguma coisa está errada , com certeza  lhe faltou  educação, cidadania  ou seja  uma boa formação. Será que a nossa sociedade está dando essa formação?

terça-feira, 11 de outubro de 2011

BAIRRO N. S. DE FÁTIMA

                                 Foto : Jailton Lauriano        
MORADORES E  MOTORISTAS  RECLAMAM DA FALTA DE CONSERVAÇÃO  DA PRINCIPAL  AVENIDA  DO  BAIRRO N. S. DE FÁTIMA ,  BURACOS E ESGOTO A CÉU ABERTO  FAZEM PARTE  DO CENÁRIO NO BAIRRO . O TRÂNSITO DE VEÍCULOS ( ÔNIBUS, KOMBIS   COM DESTINO AO BAIRRO N. S. DA CONCEIÇÃO  EXIGE UMA CONSTANTE MANUTENÇÃO DA  AVENIDA.

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Pensar


Quem quer pensar deve aprender.
Só o homem aprende a pensar. E aprende porque está no pensamento.
Por sentir-se na proeza do pensamento, ele mesmo se define animal que pensa.
Qual o interesse do pensamento? É
aprender a pensar!
Para tanto precisa fazer exercícios e lutar muito para merecer sua
destinação de pensar. Isso o leva a frequentar a realidade. Aqui o pensamento
aprende a pensar. Fora dessa escola não há aprendizagem.
À medida que aprende a pensar, o pensamento se torna conhecimento
e se faz linguagem da realidade. Isso o deixa maravilhado.
O conhecimento e a linguagem são as luzes e os sons da realidade. A
variação das luzes do conhecimento e a escala de sons da linguagem
mostram o pensamento aprendendo a pensar o real.
A semente que germina produz ramos, folhas, flores e frutos. O
pensamento que pensa, produz conhecimentos e falas diversas. Produz
conhecimento e fala que calcula, imagina e confia. E produz a filosofia.

sábado, 8 de outubro de 2011

AURÉLIO , ANA E SEUS FILHOS (Xerxes, Aurelinho e Heron )

FOTO DE 2008   REAFIRMANDO  A UNIÃO   

MODISMO

Talvez você sofra e até se revolte contra a vida  porque não tem aquele corpinho de “top model”, ou aquele cabelinho como o da artista da novela; ou porque você é um rapaz que não tem aquela musculatura especial... Ou porque a sua estatura é baixa...
A mídia colocou na sua cabeça que o “mais importante” é ser bonito de corpo, esbelto, magro – segundo os “padrões de beleza” dos que ditam a moda para os outros. A propaganda colocou na sua mente uma grande mentira: se você não tiver aquela calça “da moda” ou aquela camisa “de marca”, o celular  da moda  etc , então, você não poderá ser feliz.
O comercial de TV e as novelas lhe ensinaram uma coisa perversa: se você não for “sexy”, você não poderá ser feliz e não terá um(a) namorado(a), será rejeitado(a). Tudo isso é uma grande e malvada mentira. É o modismo que domina hoje o mundo e a cabeça das pessoas, impondo-lhes uma ditadura da moda.

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

NOS RENDEMOS AO SENTIDO QUE AS PALAVRAS GANHAM

Às vezes  nos rendemos ao sentido que as palavras ganham. Partidos que se dizem socialistas,  na verdade são sociais-democratas, por sua vez, foram recorrentemente classificados como "países comunistas", e não como "países dirigidos por comunistas", quando sequer o socialismo foi plenamente desenvolvido nestes peaíses. ao enfatizar  ocaráter transitório do socialismo e a necessidade  de construirmos o comunismo, as teses contam a história apenas parcialmente. é preciso se explicar dois aspectos: o primeiro é o caráter histórico desta transição, ou seja, sem um tempo defindo, podendo durar  30 anos  ou  300 anos ; o segundo é o entendimento que , na  obra marxista , quando se fala de socialismo está  se tratando de um sistema INTERNACIONAL.
Da forma como consta nas teses, pode parecer que se imagina uma força revolucionária chegando ao poder , aplicando um programa socialista, e, uma vez ele cumprindo, podendo , nos marcos de um país, ir  construindo um sistema social comunista.
Nenhum país será plenamente socialista enquanto o sitema internacional não for  socialista, e não há sistema internacional  socialista  enquanto os grandes países do mundo  não se tormarem  socialistas ( em especial os países do G7 -  grupo composto pelos sete países mais ricos do mundo - e os países do BRIC -Sigla que se refere a Brasil, Rússia, Índia, China, que se destacaram no cenário mundial pelo rápido crescimento.

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

PAPEL DE UM JORNAL

Os jornais impressos,  devem se dedicar à análise crítica dos acontecimentos. Possuem espaço físico em suas páginas para recolher opiniões qualificadas e concedem aos leitores oportunidade para refletir.
O político, especialmente em período pré-eleitoral, não pensa. Apenas deseja ser agraciado com notícias favoráveis. Qualquer crítica é posicionamento negativo.
Alteraram-se, e muito, os costumes jornalísticos. Hoje, cada jornal é produto de uma empresa e, como tal, deve oferecer a seus leitores produto isento de partidarismo.
Já não é como no passado, quando cada veículo se encontrava ligado umbilicalmente a um partido. Defendia as posições doutrinárias da agremiação e seus candidatos.
Agora, os jornais desejam se mostrar como espaços democráticos e isentos, o que os leva a serem críticos às administrações públicas, apesar dos apoios subliminares presentes, aqui e ali.
Boa prática, no início das campanhas eleitorais, seria os veículos impressos apontarem suas preferências eleitorais claramente. Um editorial com a expressa indicação do candidato escolhido.
Os leitores leriam as notícias e informações, no decorrer da campanha eleitoral, com o claro conhecimento da tendência do jornal. Entrelinhas a favor deste ou daquele candidato levam a desorientação.
O jornal - repita-se - não se apresenta como os demais veículos. Ele é instrumento próprio para meditação. Só o jornal permite a longa reflexão sobre os acontecimentos.
O rádio e a televisão mostram-se instantâneos. Ouvem-se notícias e podem estas ser captadas com a rapidez de um raio. Tudo passa e pouco resta, apesar do dito chinês (uma imagem vale mais do que mil palavras).
Pode ser. Mas a imagem não permite pensar com profundidade sobre pessoas e acontecimentos. É fugaz, particularmente na contemporânea forma eletrônica.
Os governantes, ao se queixarem uníssonos, sem se aperceberem, fizeram um elogio à imprensa. Mostram-se preocupados com as críticas escritas. Estas permanecem.
A imprensa, por seu turno, ao receber um elogio, no interior de críticas, precisa tomar consciência de sua importância no cenário da democracia de massa.
Os jornais, apesar da queda das tiragens, continuam apontados como veículos merecedores de confiança da sociedade. Deu no jornal é p'ra valer.
Quem conta com tão grande responsabilidade precisa, ser veraz em suas informações. Estas devem sempre possuir duas mãos: a notícia e as etapas de sua evolução na sociedade.
Noticiar e não acompanhar os atos subseqüentes, por vezes, leva a desinformação com suas conseqüências nefastas na democracia. Os governantes, neste caso, têm porque se queixarem.
Os jornais contam com muitos elementos para a própria reflexão.

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

VIVA! O BRASIL É RICO

O Brasil  já é  sétima economia do mundo. Temos uma estrutura industrial completa , contendo todos os setores da indústria moderna.A economia brasileira continua , como desde a invenção do Brasil ,profundamente internacionalizada, mas agora  não apenas empresas estrangeiras dominam partes significativas de nossa economia, mas já temos um número relevante de empresas brasileiras atuando  como  multinacionais,  de maneira que os vínculos brsileiros  com o capitalismo internacional devem ser vistos  como  profundos. Surge uma certa confusão quanto ao estágio  de desenvolvimento da economia capitalista brasileira talvez pelo elevado  nível de miséria  e concentração de renda que existe no país. Tal decorreria da ilusão que o  capitalismo desenvolvido conduz , necessariamente, a uma maior distribuição de renda e a um maior bem  estar social, o que claramente não é verdade. os  estados Unidos da américa- EUA que são  o país  mas rico do mundo possuem  milhões de pessoas vivendo na miséria, e tem  um sistema de saúde incapaz de atender adequadamente  ao conjunto da população.
O desenvolvimento do  Capitalismo  brasileiro pode conviver perfeitamente com a concentração de renda , a existência  de ampla parcela da população em situação de miséria e a precariedde dos serviços públicos , sem perder seus profundos vículos com o capitalismo interncional.



terça-feira, 4 de outubro de 2011

POVO MARCADO

Mais uma campanha política se aproxima. Os "amigos" de políticos começam a espalhar out-doors Pernambuco afora, elogiando esses monumentos de competência e honradez que são (na prática, pelo visto)Todos os políticos capas-pretas do Estado. A política como ela tem sido (não como deveria ser e é, em essência, segundo a definição clássica) causa nojo, no Brasil e em nosso Estado. Quem manda (cada vez mais de modo despudorado) é o capital desses grandes empresários, sempre cheios de amor para dar pelo bem público. Nesse tipo de jogo político, desobedece quem é louco. Em viagem recente pelo interior (sertão e agreste de Pernambuco) vi dezenas de pequenos caminhões paus-de-arara carregando jovens estudantes para escolas e colégios.
Seguiam aboletados em bancos de madeira, ao sabor de ventos, poeira e chuva. E onde estão esses políticos que a cada eleição babam pelo voto, comprando-o muitas vezes a preço vil? Onde está, por exemplo, essa gente do PTB, que agora mesmo, em inserções de rádio e TV, faz  campanha contra o financiamento público de campanhas políticas? Por que será que esse partido de ricaços volta-se, em cadeia nacional,
contra o controle e a fiscalização públicos de campanhas políticas, pois este seria justamente um dos efeitos do financiamento de campanhas? Sabemos todos que empresários não doam dinheiro para campanhas políticas, mas sim emprestam e depois cobram com juros de agiotas políticos. Garroteiam o Estado por meio de esquemas de
políticos submissos ao capital privado (quase todos, na verdade). São os virtuais donos do Estado. Quanto a esses jovens abancados como paus-de-arara pós-modernos em caminhões capengas, queiram todos os santos, Deus, orixás, Karl Marx, Guevara e outros, que um dia se rebelem, se recusem a ver seus futuros filhos como gado que segue para uma sala de aula que é como um curral abençoado por políticos do
capital.